(41) 3244-6844 | FALE CONOSCO

Notícias

Do dia

FEPASC alerta para a prevenção às drogas

26.06.2019

Uma das missões da FEPASC é promover a qualidade de vida dos colaboradores das empresas filiadas. Nesse sentido, incentiva as empresas a realizar trabalhos de conscientização sobre diversos temas comuns aos motoristas que atuam com transporte urbano e de passageiros. Um deles se refere à prevenção às drogas, vício que acomete a sociedade em geral e entre os motoristas esse cenário também é preocupante.


Hoje, Dia Internacional de Combate às drogas, a FEPASC orienta sobre as complicações causadas pelo consumo das drogas, que atualmente são consideradas um problema de saúde pública. Por isso, devem ser observadas com muita cautela pelos serviços responsáveis por ações de promoção e prevenção da saúde.


Cerca de 5 milhões de brasileiros consumiram cocaína pelo menos uma vez na vida e 1,8 milhão fez uso de crack, segundo o Levantamento Nacional de Álcool e Drogas (II Lenad), realizado em 2012.


Drogas prejudicam a habilidade motora e tempo de reação


Entre os principais fatores de risco para mortalidade no trânsito, aparece o uso de álcool, ou seja, dirigir sob o efeito do álcool expõe ao risco todos os envolvidos, motoristas e passageiros. Por conseguinte, estar sob a influência de qualquer droga lícita ou ilícita que atue no sistema nervoso central prejudica as habilidades motoras, tempo de reação e julgamento do condutor.


Dirigir é um exercício que requer a máxima atenção, principalmente quando esse faz uso da direção como trabalho. O motorista necessita estar atento a todos os estímulos externos que o torna influenciável para guardar sua segurança e a de outras pessoas, uma vez que os acidentes de trânsito representam a segunda maior causa de mortalidade por causas externas.


Além disso, o ato de dirigir não se resume apenas em habilidades motoras ou cognitivas, mas envolve diferentes padrões de personalidade, os quais estão associados a diferentes estilos de condução, além do aprendizado de regras que se fazem necessárias no envolvimento com o trânsito, bem como a capacidade de antecipação das situações de risco.


Direção e drogas


Estudos revelam que 50% dos condutores de rodovias brasileiras já dirigiram logo após ter consumido bebida alcoólica e 51% dirigiram após ter feito uso de outras drogas, sendo as mais consumidas: a maconha; benzodiazepínicos; antidepressivos; sedativos/ ansiolíticos; anfetamínicos; e cocaína.


Nesta conjuntura, o uso do álcool e outras drogas associado às precárias condições das estradas e aos estilos de vida, despontam como fatores preocupantes no campo da promoção da saúde e na prevenção dos riscos e agravos dos motoristas dos que trafegam pelas estradas.


Prevenção

O caminho mais eficaz para combater o consumo das drogas e do álcool é a educação e a informação. Pessoas conscientes e sensibilizadas sobre os diversos males que essas substâncias proporcionam rendem resultados mais satisfatórios do que a intervenção em pessoas que já estão viciadas ou que fazem o uso moderado, pois essas pessoas são mais resistentes a tratamentos. 


Para o desenvolvimento de ações preventivas, é necessário firmar bases objetivas e fundamentação para propostas de políticas que ofereçam espaços reais para um programa, relacionando-o sempre com o bem-estar e o desenvolvimento do indivíduo e da sociedade. 


No que diz respeito às ações específicas de prevenção, existem dois tipos de perspectivas: 


• Informações sobre drogas, desenvolvidas através de cursos, seminários, material didático, entre outros, visando informações objetivas e verdadeiras sobre as drogas, seus efeitos e consequências. 


• Educação à saúde, dando enfoque para a saúde em geral, atuando pedagogicamente, transmitindo conhecimentos, criando atitudes, discutindo valores, com a finalidade de estabelecer comportamentos, hábitos e estilo de vida saudável.